Tag: Segurancadainformacao

Erros que podem comprometer a Infraestrutura de TI

Infraestrutura de TI

Sabemos que a área de TI é de extrema importância para todas empresas, porém em alguns casos profissionais e departamentos de TI podem ser passível de erros na gestão de Infraestrutura de TI.

Para lidar com a parte de “ Infra “ como costumamos chamar essa área, é necessário  experiência prática, teórica  e capacidade de inovações, em razão da mutabilidade constante do setor.

Viemos aqui para deixar algumas dicas de erros comuns que podem prejudicar a Infraestrutura de TI de sua empresa.

1 – Deixar projetos em aberto e fora de prazo

Prazo faz parte de todo processo e operação de uma empresa, não seria diferente no departamento de TI de sua empresa.

Recomendamos que gestores acompanhe de perto e tenha o conhecimento de todas tarefas que devem ser realizadas, prezando sempre pelo cumprimento das tarefas em tempo hábil. Para evitar possíveis atrasos e o não cumprimento de um dos projetos, pois sabemos que empresas podem ter demandas grandes de TI e o atraso em uma delas poderá contribuir no atraso nos demais projetos.

2 – Pouca segurança de Infraestrutura de TI

A Segurança é de extrema importância para gestores de TI, mas há casos e empresas que não dão a devida importância quando o assunto é esse.

Investir em segurança é importante e fundamental para sua Infraestrutura de TI, deixar de investir em na segurança de dados e informações sigilosas de sua empresa pode causar danos enormes a sua empresa.

3 – Deixar de acompanhar mudanças e tendências de TI

Como está diretamente relacionada à tecnologia, o mundo da TI está constantemente em evolução. Por isso, é normal que plataformas, softwares, sistemas e processos tenham de ser modificados com grande frequência.

Todo empresário sabe – ou deveria saber – da importância da TI para a eficiência da rotina de operações de seu negócio. Contudo, isso só é alcançado se os recursos corretos forem aplicados e aqueles que já estão em uso forem atualizados.

Deixar de acompanhar as modificações e atualizações da Tecnologia da Informação, pode gerar um déficit de produtividade, uma vez que processos ultrapassados tendem a ser menos eficientes e mais sujeitos a falhas e interrupções. Além disso, com a disseminação das tecnologias, há uma crescente tendência de barateamento destas.

Assim, a empresa tem à sua disposição novos recursos de TI, muitas vezes com uma redução nos custos, se comparado aos que já utiliza.

Este é mais um motivo para que a companhia faça o possível para acompanhar as mudanças da TI. Se sua empresa tem dificuldades ou problemas como esses, não fique preocupado, podemos ajudar em seus projetos, entre em contato conosco.

Wine Tecnologia fecha parceria com a Blockbit

Hoje 22 de outubro, nosso Diretor Fabio Lima esteve em reunião junto com Jaqueline Araújo, Gerente de Canais Blockbit, para fechar uma parceria de representação oficial e trazer novidades em nossas soluções de Cibersegurança!

Com o surgimento da LGPD estamos buscando melhorias e inovações em nossos serviços, para atender clientes de todos os segmentos que se enquadram na Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, Lei nº 13.709/2018.

Com a nova parceria será possível alinhar-se com as ultimas tendências globais de segurança da informação como: prevenção de ataques e ameaças ( sejam eles internos ou externos, genéricos ou direcionados. ), respostas de incidentes e prever falhas.

Para saber mais fique atento em nosso site, redes sociais ou entre em contato conosco através do e-mail: comercial@winetecnologia.com.br

Você está por dentro da LGPD?

LGPD é a sigla adotada para designar a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei nr 13.709) sancionada em 14 de agosto de 2018 e que entra em vigor a partir de agosto de 2020. 

Se você tem um negócio de qualquer porte ou pretende ter, que lida com informações do público, sejam elas específicas ou simples quanto apenas um nome, é muito importante estar por dentro.

Seja qual for o tamanho do investimento necessário, ele muito provavelmente valerá a pena, porque as multas para quem não se adequar a lei poderá chegar a R$ 50 milhões de reais.

Com a lei sancionada, as empresas passam a ter 18 meses para se adequar às novas exigências.

De forma geral, muitas organizações já possuem processos implementados para atendimento da GDPR que poderão ser adaptados para a LGPD. Por outro lado, inúmeras organizações deverão estruturar novos programas de implantação para garantir a conformidade dentro do prazo estabelecido.

O primeiro passo para adequação é realizar um mapeamento detalhado dos dados pessoais tratados e o seu ciclo de vida. Saber onde estão, como estão armazenados, quem tem acesso, se os dados são compartilhados com terceiros no Brasil ou exterior e quais riscos associados ao ciclo de vida, são algumas perguntas essenciais que todas as organizações devem responder antes estabelecer o programa de implantação.

As tecnologias também serão um dos componentes importantes para as organizações, uma vez que a nova lei traz desafios de gestão e governança de privacidade tais como: a gestão de consentimentos (e respectivas revogações), gestão das petições abertas por titulares (que, em alguns casos, devem ser respondidas imediatamente).